Container

ACP

Endereço: Av. Prefeito Osmar Cunha, 183/Bloco B, 1009 - Centro - FLORIANÓPOLIS - SC - CEP 88.015-100

Telefone: (48) 3225-9185 -

Associação Catarinense de Psiquiatria (ACP)

ENDEREÇO

Av. Prefeito Osmar Cunha 183, Bloco B, 1009
CEP 88015100
FLORIANÓPOLIS/SC

FONES

(48) 3225-9185
Plataforma Portais Eletrônicos

Identifique-se

Painel de Controle

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades e noticias.

Notícias

Artigo: A mulher e a super TPM

Texto escrito pela psiquiatra Luisa Caropreso

Publicado 14/11/2017 10:32

Desde os primórdios da humanidade a relação entre a menstruação, o cérebro e o comportamento da mulher é interpretada de diferentes formas por diferentes culturas. 

Em algumas tribos indígenas, o período menstrual era considerado o momento mais espiritual da vida da mulher, de forma que ela era poupada de suas atividades e deveria orar e meditar para receber visões e sonhos. 

Na mulher moderna ocidental, a menstruação é pouco falada. Considerada um incômodo para a maioria das mulheres e um tabu para os homens, para muitos chega até mesmo a ser um sinal de que a mulher é instável e menos capaz.

O período pré-menstrual é de fato um momento de vulnerabilidade para o aparecimento de sintomas físicos e mentais. Estima-se que cerca de 75% das mulheres em idade fértil tenham sintomas atribuídos à fase pré-menstrual do ciclo, a conhecida Tensão Pré-Menstrual (TPM), a qual não é uma doença e tem os sintomas contornados pela maior parte das mulheres.

No entanto, até 8% das mulheres apresentam na verdade uma doença chamada Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM), um tipo grave de TPM na qual predominam as alterações do humor e do comportamento, sendo ansiedade, impulsividade, tristeza, tensão, irritabilidade, raiva, distúrbios do apetite e do sono os sintomas mais frequentes e costumam durar de 5 a 15 dias e, em geral, pioram com a proximidade da menstruação e terminam logo que esta se inicia. Nessas mulheres, os sintomas são graves a ponto de interferirem no relacionamento familiar, causar baixa produtividade no trabalho e predispor a acidentes.

Para o correto diagnóstico, devemos diferenciar a TDPM do agravamento de outros transtornos mentais no período pré-menstrual. O tratamento é feito com medicamentos antidepressivos ou hormonais aliados à modificação do estilo de vida e psicoterapia.

Um estilo de vida saudável é fundamental tanto na prevenção dos sintomas da TDPM como na TPM. Dessa forma, ao menos no período pré-menstrual, devem-se praticar atividades físicas, buscar uma alimentação saudável - com restrição de açúcar refinado, sódio, álcool e cafeína -, priorizar o bom sono e investir em atividades relaxantes.

Leia mais sobre: Notícias

Compartilhe

Delicious Digg Google Bookmarks Mixx MySpace Reddit Sphinn StumbleUpon Technorati RSS